/Dia do Baterista: Projeto Bateria Interativa reúne integrantes com Banda Marcial de escola municipal

Dia do Baterista: Projeto Bateria Interativa reúne integrantes com Banda Marcial de escola municipal

A Secretaria de Educação de Cabedelo (Seduc), por meio do Setor de Projetos Educacionais, realizou, nesta quinta-feira (20), uma comemoração alusiva ao Dia do Baterista. A data foi marcada com um evento que reuniu os integrantes do Projeto Bateria Interativa na Escola e da Banda Marcial da Escola Marizelda Lira da Silva.

O evento aconteceu na Casa dos Conselhos da Educação, sede da União Nacional dos Conselhos de Educação (UNCME) – secção Paraíba, que deu total apoio à iniciativa. Apresentações de integrantes do projeto, da banda marcial e workshops coordenados pelos professores Fernanda Flor e Ewerton Ferreira marcaram a programação da atividade.

O Bateria Interativa tem por objetivo incentivar a musicalidade nas escolas através de atividades com instrumentos percussivos, bem como propiciar benefícios no processo ensino-aprendizagem na vida escolar.

“Na programação de hoje preparamos um contato entre o Bateria Interativa e a Banda para ressaltarmos a importância do conhecimento acerca do instrumento bateria e o naipe de percussão e suas similaridades. O projeto é uma atividade que tira o aluno da vulnerabilidade do tempo ocioso e o traz para uma perspectiva artística, onde ele pode explorar o seu conhecimento, sua criatividade, desenvolver sua coordenação motora, trabalhar a memória e tantos outros benefícios que a música traz”, declarou o coordenador do projeto Bateria Interativa na Escola e mobilizador do Selo Unicef em Cabedelo, Augusto Barbosa.

Bateria – Desde o seu lançamento, em 2016, o projeto Bateria Interativa na Escola sempre conseguiu a atenção de alunos interessados em aprender a tocar bateria. Atualmente, ele conta com 48 alunos matriculados, sendo 32 no Polo I e 16, no Pólo II.

Após três anos de atividade, o projeto cresceu e hoje funciona em dois pólos. O primeiro na I Igreja Batista, no Centro, e o segundo, na II Igreja Batista, no Jardim Manguinhos.

“É muito bom saber que o projeto abre oportunidades para quem não tem condições de estudar um instrumento e, com certeza, é uma forma de motivar as crianças a estarem mais ligadas em alguma coisa. Os jovens atualmente andam muito dispersos e a música gera interação, ela deixa a pessoa mais focada naquilo que se quer fazer e tira a mente de outras coisas. Gera um novo foco em termos de educação, de respeito, a dedicação, a disciplina nos estudos, em casa e socialmente. É um projeto social que merece parabéns”, comentou Fernanda Flor.

O professor de bateria Ewerton Ferreira destacou a importância da formação musical como complemento da educação regular dos alunos e para a exercício da cidadania.

“É de extrema valia para o crescimento de cada um e é muito bom ver o crescimento deles, as mudanças positivas. A saída de um universo tão difícil e a entrada em um maravilhoso, que é a música, que envolve varias áreas, como o mecanismo cognitivo, a educação, aprimora o vocabulário, melhora na aceitação deles como ser social, como aluno. Um projeto desse tipo só tem que dar certo e que ele tenha continuidade e uma bela caminhada”, declarou.

Secom Cabedelo