Alunos da Rede Municipal de Cabedelo participam da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR)

Esse é o 3º ano consecutivo que alunos ligados à Escola de Robótica participam da competição

Alunos da rede municipal de ensino participaram, no sábado (14), da Etapa Regional da Olimpíada Brasileira de Robótica. Assim como na edição passada, a participação se deu de forma remota, como medida de segurança contra a pandemia do coronavírus.

A competição aconteceu por meio do uso do simulador Sbotics© e envolveu alunos do fundamental II (6º ao 9º ano) de 10 escolas municipais, que estão inseridos no Projeto Escola de Robótica. A etapa conta com participantes de todo o Estado, tanto da rede pública de ensino quanto da privada, e vale vagas para a etapa nacional, que será realizada em novembro.

Estão inscritos 66 alunos/competidores, em mais de 20 equipes, das seguintes escolas: Elizabeth Ferreira da Silva, Major Adolfo Maia, Mª das Graças Rezende, Mª Pessoa Cavalcanti, Marizelda Lyra Silva, Miranda Burity, Paulino Siqueira, Plácido de Almeida, Rosa Figueiredo e Vereador Pedro Américo.

“O Projeto Escola de Robótica faz parte do investimento e esforço da gestão municipal em oferecer aos alunos da rede um ensino atualizado e que busca prepará-los para os desafios do século XXI, num mundo cada vez mais digital e tecnológico. A preparação e o incentivo à participação em competições fazem parte desse trabalho que realizamos com nossos alunos e em prol de uma educação ampla e qualificada”, aponta a secretária Márcia Moreira.

O Projeto Escola de Robótica é ofertado pela Seduc, através do Setor de Tecnologia Educacional (STE), e conta com kits de robótica nas escolas, computadores e professores capacitados para ministrar aulas de robótica educacional, além de compor a equipe uma pedagoga e um consultor em Robótica Educacional.

“A robótica educacional e o ensino de programação, hoje, é tão importante como a alfabetização para os anos iniciais. Saber programar computadores e robôs vai possibilitar que nossos alunos tenham um diferencial no mercado de trabalho. As competições de robótica permitem aos estudantes, não apenas testar suas aptidões tecnológicas, mas desenvolver habilidades como trabalho em equipe, resiliência, raciocínio lógico, capacidade de tomar decisões rápidas, além de ajudá-los a melhorar sua autoestima, capacidades cognitivas e emocionais”, destacou o consultor de robótica STE/Seduc, Luciano Pinto.

Compartilhar