Alunos da rede municipal participam de projeto de conscientização ambiental e atuam na limpeza de praias em Cabedelo

Ação faz parte do programa Pescadores de Plásticos e acontece em parceria com a Seduc e a Semapa

A Prefeitura Municipal de Cabedelo, por intermédio das Secretarias de Educação (Seduc) e de Meio Ambiente, Pesca e Aquicultura (Semapa), segue desenvolvendo o projeto de conscientização ambiental “Pescadores de Plásticos”, que consiste em abordar na rede municipal de ensino, em um formato educativo e prático, a problemática dos resíduos sólidos urbanos nos ambientes costeiros.

A iniciativa proporciona o momento de oficinas dentro da sala de aula e depois leva o aluno até a prática nas praias e/ou comunidades ribeirinhas. Nesta sexta-feira (12), foi a vez dos alunos da escola municipal Paulino Siqueira participarem do projeto. Eles assistiram a uma palestra sobre as problemáticas dos resíduos sólidos urbanos nos ambientes costeiros e seguiram para a limpeza nas praias de Formosa e Areia Dourada.

O Pescadores de Plásticos vem sendo trabalhado em Cabedelo desde o ano de 2019 e já alcançou o alunado de 12 unidades escolares. O projeto busca, até o próximo ano, trabalhar em todas as 22 escolas municipais. As ações visam informar, sensibilizar, conscientizar e transformar a população em relação à responsabilidade com o cuidado dos resíduos que são produzidos, além de se tornarem uma importante ferramenta no processo de construção socioambiental para a preservação dos ecossistemas.

O coordenador de projetos educacionais da Seduc, professor Gilberto Silva, comemorou a iniciativa ressaltando a importância das temáticas ambientais.

“Ficamos felizes em ver estas Secretarias envolvidas com as questões ambientais. Trabalhar a preservação do espaço dos seres vivos é uma temática importantíssima para o nosso município e para sociedade de um modo geral. É muito louvável que, neste momento de ensino híbrido, tenhamos profissionais que tomem coragem de voltar com atividades de relevância junto às comunidades, buscando conscientizar a população. E mais gratificante ainda destacar que não são atividades isoladas, pois são contínuas e constam numa programação. Importante também quando a gente limpa uma casa ou um espaço público saber que estamos limpando a alma”, destacou.

A engenheira ambiental Mariana Nóbrega representou a Semapa na ação e também enfatizou a sua importância.

“A Semapa procura sempre estar envolvida com alunos e professores nessas temáticas ambientais, pois é nesse âmbito que iniciamos a sensibilização que chega até a população. Importante estar com as crianças, ensiná-las, aprender com elas também e aproveitando esse entusiasmo para contagiar outras pessoas sobre preservação ambiental”, frisou Mariana.

Nesta etapa do Pescadores de Plásticos, quem participou foi o alunado da escola municipal Paulino Siqueira, de acordo com a supervisão escolar. A unidade já é referência neste tipo de atividade que envolve a comunidade, tendo abrigado outros projetos como o “Clube de Ciências” e o “Banco Mais” – que atualmente envolve outras escolas.

Os estudantes recebem vestimentas e materiais especiais e participam de oficinas de coleta seletiva e reciclagem, tratando a política de resíduos sólidos descartados no meio ambiente com o professor de ciências Gladstony Cruz, que é o coordenador do programa de Educação Ambiental da Seduc e da Semapa.

“A educação ambiental se fortalece quando se inicia na base e, por isso, os alunos são os agentes multiplicadores dessa transformação. O Pescadores de Plásticos traz a informação dos problemas causados pelos resíduos sólidos urbanos nos ambientes e busca gerar consciência ambiental para promover a conservação dos ecossistemas de Cabedelo. Esse projeto nasceu na escola Miranda Burity e foi expandido para a rede municipal para fortalecer a resolução desse problema ambiental. A gente já sente os efeitos na prática, pois já chegamos a coletar na faixa de 400kg de resíduos, e atualmente as coletas diminuíram consideravelmente. A nossa maior preocupação é com relação aos resíduos descartados no Rio Paraíba e em áreas de manguezais, pois são locais mais inacessíveis, mas ainda trabalhamos também essas informações”, destacou Gladstony.

Após as oficinas e palestras, alunos da Paulino Siqueira se deslocaram com entusiasmo para a praia de Areia Dourada, onde fizeram a coleta e finalizaram com a pesagem e a destinação dos resíduos.

O aluno Emanuel Fernandes, do 8° ano, comentou sobre a experiência: “Eu acho esse projeto muito importante para o meio ambiente e para a nossa cidade. As pessoas precisam aprender que essa desorganização acaba um dia afetando a saúde das gerações futuras”, concluiu o estudante.

Compartilhar