Alunos de escola municipal participam de evento em alusão ao Dia Nacional do Folclore

Os alunos da Escola Municipal Altimar de Alencar Pimentel participaram, nesta quarta-feira (22), de um evento em alusão ao Dia Nacional do Folclore – 22 de agosto. A celebração denominada de Folclorando no Altimar Pimentel aconteceu na Praça Getúlio Vargas, no Centro, e mobilizou todas as turmas em apresentações com temáticas referentes ao repertório folclórico brasileiro.

No período da manhã, se apresentaram alunos das turmas do 3º ao 5º e, à tarde, a Praça foi ocupada pelos alunos do infantil ao 2º ano. No repertório, referências a folguedos populares como Boi Bumbá, danças como carimbó, cantigas infantis, brincadeiras de roda, contação de estórias e apresentações das lendas do boto, da Iara – mãe-d’água e do lobisomem.

“Promovemos 15 dias de trabalho com a temática do folclore para resgatar e não deixar morrer essa tradição. Cada turma realizou trabalhos de leitura, de apresentação de lendas, de vivência musical e resolvemos trazer para a Praça para a população ver, pois não adiantava produzir tudo e limitar ao consumo interno. É preciso trabalhar com os alunos e, na medida do possível, abrilhantar o trabalho com apresentações públicas. Todos os profissionais ligados à escola se empenharam e o resultado está maravilhoso”, comentou a gestora da escola, Jaiza do Rosário Moura Santos.

A diretora destacou que a importância do projeto é principalmente de não deixar morrer o folclore brasileiro, sobretudo frente às inovações que são introduzidas no cotidiano. Jaiza salientou que só o processo educativo, que envolve a vivência com a história e a tradição folclórica, vai permitir o aprendizado e a reprodução desse conhecimento.

A pequena Emily Beatriz, aluna do 3º ano, falou da experiência de participar da mostra organizada pela sua escola. “É muito legal participar e assistir as apresentações sobre o folclore. Hoje participei da dança do Bumba Meu Boi Já conhecia a dança, pois as professoras trabalharam com a gente na escola e foi muito bom”, comentou.

A professora Betânia Guedes de Almeida destacou o trabalho feito em sala de aula, que deixa um saldo positivo no aprendizado das crianças.

“As apresentações foram organizadas com base no trabalho com sequência didática, mostrando para as crianças a importância do folclore e resgatando essa cultura tão importante para o nosso povo. Penso ser esse o papel da escola: manter viva a cultura de um povo, não deixá-la morrer. Trabalhamos, a partir da temática, a leitura, a escrita e a produção de texto, e isso possibilitou apresentar um cordel sobre o folclore brasileiro. Nossa intenção, enquanto educadores, é manter vivo esse manancial”, finalizou.

Secom Cabedelo

Compartilhar