Cabedelo dá início a Curso de Práticas Restaurativas na Promoção da Cultura de Paz

Aula inaugural foi realizada nesta sexta-feira (11) e busca capacitar servidores para trabalhar com o combate à violência e conflitos em diversos âmbitos

Promover uma cultura de paz no combate a todo tipo de violência ou conflito. Esse é o objetivo da Formação sobre Práticas Restaurativas na Promoção da Cultura de Paz, realizado pela Prefeitura Municipal de Cabedelo (PMC), através do Setor de Projetos Educacional (SPE), vinculado à Secretaria de Educação (Seduc).

A aula inaugural do curso aconteceu na manhã desta sexta-feira (11), no auditório do Uniesp. Até o dia 31 de março, serão realizados seis módulos voltados aos profissionais da Educação, Segurança, Assistência Social e Saúde. 

A ideia é capacitar servidores destas pastas para trabalhar com práticas restaurativas e promoção de paz. 

A secretária de Educação, Márcia Moreira, na ocasião representando o prefeito de Cabedelo, Vitor Hugo Castelliano, agradeceu a participação das secretarias municipais de Segurança, Assistência Social e Saúde e ressaltou a importância da parceria e colaboração no sucesso do projeto.

“Com a justiça restaurativa e a construção de uma cultura de paz temos a proposta não só de ensinar, mas de salvar vidas e de reconstruir sonhos. O papel primordial de um professor é caminhar lado a lado com os seus alunos, seja na construção de conhecimentos, com uma palavra amiga e na luta diária pela efetivação dos seus direitos, seja também na cobrança de seus deveres. Temos de agradecer também à parceria com que as Secretarias e órgãos municipais trabalham, pois atuamos como uma família sempre em busca de melhorias coletivas e estando presentes em tudo que se propõe. Estamos entrelaçados, pois existe um objetivo único: Cabedelo. E a educação é um pilar nesse processo”, destacou Márcia.

Após a formação atual, os participantes receberão certificados de participação. O professor Gilberto Silva, coordenador do SPE na Seduc destacou a importância desse projeto.

“As parcerias com o Serviço da Pastoral dos Migrantes do Nordeste e com a Uniesp foram fundamentais para a realização deste curso, que hoje se inicia com esta aula inaugural. O Curso de Práticas Restaurativas na Promoção da Cultura de Paz surge da necessidade de buscarmos realizar intervenções no combate a todo tipo de violência nas escolas municipais de Cabedelo. Entendemos que a mediação de conflitos é necessária no âmbito escolar. Para isso, estamos oportunizando este curso, para capacitar nossos educadores e estudantes. Uma oportunidade ímpar, para nossa comunidade escolar poder vivenciar uma cultura de paz”, pontuou Gilberto.

A aula inaugural contou com a palestra da promotora do Ministério Público da Paraíba, Ana Raquel Beltrão, com o tema “O diálogo como mecanismo de encontro”. A promotora de justiça da Educação, que também é coordenadora do Projeto Justiça Restaurativa na Escola na Paraíba, destacou a importância das ações que estão acontecendo no município de Cabedelo.

“Apesar da humanidade ter evoluído tanto no sentido científico e tecnológico com feitos extraordinários, nós ainda nos comportamos mal como humanidade. Numa guerra atroz como essa que está acontecendo,a crueldade e sofisticação da perversidade sao muito grandes. E não existe algo mais urgente para gente falar do que amor, empatia, diálogo e respeito! Temos que  aprender a ouvir opiniões diferentes, respeitá-las e conseguir conviver junto para que nosso planeta não desapareça por nossas próprias atitudes! Penso que, nas minhas atribuições como promotora, não existe nada mais importante do que conseguir convencer outra pessoa a reconhecer o erro ou um dano que tenha causado e reverter uma situação de conflito. É disso que se trata a justiça restaurativa! Eu desenvolvi um trabalho junto com as secretarias municipais no estado da Paraíba inteiro, antes da pandemia, e Cabedelo foi um dos contemplados. O resultado desse curso aqui sobre justiça restaurativa na época foi muito inspirador e entusiasmante. Para minha alegria, sou surpreendida com a informação do projeto de lei aqui. Cabedelo apostou nessa ideia e agora está fazendo novamente outro curso de capacitação. Fico muito esperançosa de que a educação vai melhorar bastante” destacou a promotora.

Programação – Após credenciamento e recepção com apresentação do músico Laércio Camargo (professor da rede municipal), os participantes também acompanharam as falas das autoridades presentes e foram prestigiados com um coffee break oferecido pela Seduc. Logo em seguida, teve início a aula inaugural.

Capacitação de estudantes – No mês de abril, o projeto prevê uma segunda etapa de formação, voltada para a temática Justiça Restaurativa, que vai envolver 25 estudantes da rede municipal e estadual de ensino que fazem parte do Núcleo de Cidadania dos Adolescentes de Cabedelo. 

“A segunda etapa, voltada para a classe estudantil, também será de extrema importância. O mundo presencia um cenário de guerra, um povo que passa por uma pandemia, além de toda violência existente, ficamos a beira do caos, então, nada melhor do que praticarmos e nos capacitados na mediação de conflitos, voltada para cultura de paz nas escolas, postos de saúde, na área de segurança, etc  Para que todos saibam lidar com problemas que surgem nos lares e muitas vezes desencadeiam em outros ambientes”, concluiu Gilberto.

Presenças – Além das autoridades acima mencionadas, a aula inaugural contou com a participação do vereador Edvaldo Neto,  propositor do requerimento do projeto de lei – já aprovado – que instaura a justiça restaurativa no âmbito municipal, visando dirimir de forma pacífica conflitos existentes no âmbito educacional e objetivando que o mesmo se estenda, através dos agentes multiplicadores, até às comunidades. 

Também participaram do evento os secretários municipais Cynthia Cordeiro (Assistência Social) e Magalhães Galvão Lourenço (Segurança e comandante da Guarda Metropolitana), ambos acompanhados de equipes de suas respectivas pastas; o secretário adjunto da Educação Jordan Lucena; o presidente do Conselho Municipal de Educação, professor João Condado; o coordenador do Serviço Pastoral dos Migrantes do Nordeste (SPM NE), Ricardo Rian – que atua nos municípios de Bayeux, Conde e Ingá no enfrentamento à violência escolar e comunitária; representantes da secretaria de Saúde (Sescab); e ainda alunos representantes do Nuca.

Compartilhar