Cabedelo discute processo de adoção em II Seminário voltado para o tema

A Prefeitura de Cabedelo, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), realizou, nesta terça-feira (28), o II Seminário Municipal de Adoção, sob o tema Toda criança merece viver em família.

O evento aconteceu no Auditório do IESP e reuniu gestores, profissionais do sistema de garantia de direitos, conselheiros tutelares, estudantes de Serviço Social, Psicologia e áreas afins.

O encontro foi aberto, na parte da manhã, com a palestra do Juiz Titular do Juizado Auxiliar da Infância e da Juventude, Henrique Jorge Jácome, com o tema Processo de Adoção: Uma análise normativa. A devolução da criança em processo de adoção durante estágio de convivência.

“Neste encontro, a gestão municipal procura lançar um olhar diferenciado para as crianças e adolescentes, principalmente as que se encontram em estado de vulnerabilidade social e em abrigos esperando ou para reintegração familiar. É baseado na temática adoção que realizamos o seminário para qualificar e reciclar nossos funcionários que militam diretamente com crianças e adolescentes, fazendo com que estejamos sempre atentos e atualizados nas questões relativas ao tema”, explicou a secretária Cynthia Cordeiro.

À tarde, o seminário teve prosseguimento com as palestras O lar não chegou: Dificuldades na adoção de crianças negras, deficientes e adoção tardia, com a Promotora Corregedora Cristiana Vasconcelos; e Criança Ideal x Família Ideal ( O que se espera, o que realmente é), com a Psicóloga e membro do Grupo Adoptare, Ilma Tavares de Araújo.

“Avalio de forma positiva essa iniciativa e como o cumprimento de um dever constitucional que manda que todo o poder público, inclusive o executivo, legislativo e judiciário, dê atenção e obedeça a prioridade absoluta que a Constituição exige em relação aos direitos da criança e do adolescente. Damos parabéns ao município por estar cumprindo seu papel”, comentou o palestrante Henrique Jácome.

O Juiz também destacou a contribuição que as discussões presentes no Seminário trazem para a sociedade e para o trabalho desenvolvido pelos agentes envolvidos com a causa.

“O seminário contribui na formação das pessoas e dos profissionais na busca do desenvolvimento de uma sensibilidade para a resolução de um problema seríssimo, que é justamente a falta de pessoas que estejam dispostas a adotar. Nossa responsabilidade neste processo, contudo, é de aproximação entre famílias, adotantes e pessoas a serem adotadas”, concluiu.

O encontro também foi pontuado por relatos. Um deles foi conduzido pelo recém adotante Silas Jurumenha que falou da decisão, da expectativa e do processo que envolveu a adoção de três crianças. Ele definiu a importância do Seminário para a sensibilização das pessoas.

“Esse tipo de encontro é muito importante para que as pessoas se orientem, sejam informadas, conheçam casos e conheçam os processos legais envolvidos no ato de adoção. Que as pessoas busquem mais informações, desmistifiquem muitas coisas e saibam que a adoção se constitui, literalmente, em um ato de amor”, destacou.

Compartilhar