Cabedelo inscreve para capacitação pioneira sobre Monkeypox voltada aos profissionais de saúde do município

Iniciativa acontece na próxima segunda-feira, dia 8, no auditório da Faculdade de Ciências Médicas

A Prefeitura Municipal de Cabedelo, por meio da Secretaria de Saúde do município, realiza, na próxima segunda-feira (8), uma capacitação inédita de atualização para os profissionais de saúde sobre a chamada Varíola dos Macacos.

Sob o título de “Monkeypox: O que sabemos e qual a sua importância para a saúde pública”, o evento será realizado no auditório da Faculdade de Ciências Médicas, às 14h. A programação conta com palestras de especialistas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e do Departamento de Doenças e Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis do Ministério da Saúde (DCCI-MS).

O curso será voltada aos profissionais de saúde do município, residentes e estagiários em regime de internato, vigilância em saúde, comunidade portuária e aeroportuária. A iniciativa busca repassar as informações referentes à Monkeypox, doença popularmente conhecida como varíola dos macacos, declarada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como um surto de emergência pública de preocupação internacional.

O evento está programado para receber até 120 pessoas. Quem fizer parte do público-alvo e tiver interesse em participar, deve fazer a inscrição AQUI.

Sobre a doença – Monkeypox é uma doença causada pelo vírus Monkeypox do gênero Orthopoxvirus e família Poxviridae. O nome deriva da espécie em que a doença foi inicialmente descrita em 1958. Trata-se de uma doença zoonótica viral, em que sua transmissão para humanos pode ocorrer por meio do contato com animal ou humano infectado ou com material corporal humano contendo o vírus.

A transmissão entre humanos ocorre principalmente por meio de contato pessoal com secreções respiratórias, lesões de pele de pessoas infectadas ou objetos recentemente contaminados. A erupção geralmente se desenvolve pelo rosto e depois se espalha para outras partes do corpo, incluindo os órgãos genitais. Os casos recentemente detectados apresentaram uma preponderância de lesões na área genital.

A erupção cutânea passa por diferentes estágios e pode se parecer com varicela ou sífilis, antes de finalmente formar uma crosta, que depois cai. Quando a crosta desaparece, a pessoa deixa de infectar outras pessoas. A diferença na aparência com a varicela ou com a sífilis é a evolução uniforme das lesões.

A Organização Mundial da Saúde emitiu alerta sobre casos da doença em países não endemicos. Desta forma, em 23 de maio foi ativada Sala de Situação de Monkeypox, na Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde para coordenar a resposta aos casos prováveis da doença no país e organizar as ações relacionadas à vigilância e assistência à saúde. Esta estrutura permite detectar casos, avaliar os riscos e impactos à saúde e; monitorar e analisar os dados para subsidiar a tomada de decisão dos gestores e técnicos, nas orientações estratégicas adequadas e oportunas para o enfrentamento do evento de saúde pública.

Compartilhar