Cabedelo já aplicou a 1ª dose ou dose única contra a Covid-19 em 70% da população vacinável

Setenta por cento da população vacinável de Cabedelo já recebeu a 1ª dose ou a dose única dos imunizantes contra a Covid-19. Os números revelam o êxito da campanha municipal em busca da segurança e da proteção da sociedade local.

Dados da Secretaria de Saúde (Sescab) mostram que a cidade já aplicou, no total, 44.623 doses das vacinas contra a doença.

Trinta e cinco mil, duzentas e cinco (35.205) pessoas receberam a 1ª dose ou dose única; e 9.418 já completaram o esquema de vacinação.

A campanha de vacinação segue avançando diariamente na cidade portuária, fazendo com que Cabedelo seja destaque na região metropolitana. Atualmente, as doses estão sendo aplicadas em pessoas a partir de 24 anos; sem comorbidades. Além deles, a campanha segue imunizando aqueles que fazem parte de outros grupos prioritários anteriormente anunciados, mas que por algum motivo ainda não se vacinaram.

Também segue sendo aplicada a dose de reforço para aqueles que já contam o tempo de intervalo previsto para cada vacina (28 ou 90 dias). A vacina está disponível no Cabedelo Clube, no Centro (das 8h às 14h; e no Colégio QI, em Intermares (das 9h às 14h).

O secretário de Saúde, Murilo Suassuna, comemora os números e espera que cada vez mais doses sejam enviadas para a cidade, baixando a idade e imunizando a toda população apta a receber a vacina.

“A gente avança na medida em que novas doses chegam. É chegando e a gente fazendo os cálculos de forma responsável, para que a faixa etária atual consiga receber as doses. Nossa meta, agora, é imunizar todo esse universo de pessoas acima de 18 anos, mantendo-as segura e protegidas contra os casos graves da doença”, destacou.

Murilo ressaltou, porém, que os cuidados de prevenção à Covid não podem cessar.

“Uso de máscara, álcool 70º e distanciamento social seguem sendo a regra para evitar casos de doença. A vacina nos protege, nos dá esperança de que toda essa pandemia vai acabar, mas os cuidados preventivos são essenciais e necessários para evitar a contaminação”, finalizou.

Compartilhar