Cabedelo promove partida de futebol de areia com usuários do Caps

Iniciativa faz parte das estratégias de tratamento utilizadas pelos serviços de atendimento psicossocial

A Prefeitura de Cabedelo (PMC), por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Sescab), promoveu, nesta quarta-feira (3), uma partida de futebol de areia reunindo os usuários do Caps I Porto Cidadania e do Caps AD III Jovem Cidadã de João Pessoa. A iniciativa segue a estratégia de promover atividades terapêuticas aplicadas ao tratamento dos usuários de unidades de Centros de Atendimento Psicossocial (Caps).

O evento aconteceu na Praia de Areia Dourada e trouxe à cidade usuários do Centro de Atenção Psicossocial (Caps AD III – álcool e drogas) Jovem Cidadão, de João Pessoa, serviço estadual de referência nacional no tratamento psiquiátrico, reconhecido pela assistência que disponibiliza aos usuários de João Pessoa e outras cidades do Estado.

“Essa ação compõe o leque de atividades que a rede de atendimento psicossocial de Cabedelo programa para seus usuários. É uma estratégia aplicada ao tratamento, que envolve atividades terapêuticas, artísticas e esportivas no sentido de promover a socialização e a inclusão. As práticas corporais são ferramentas terapêuticas no cuidado em saúde mental, bem como objetivam a inserção das pessoas com sofrimento psíquico através de ações intersetoriais”, declarou a diretora do Caps I, Yrcel Valeria Gonçalves André.

A diretora ressaltou que além da atividade física em si, esse tipo de iniciativa se faz importante pela possibilidade de troca de conhecimentos, “pela troca de vivências, sobretudo por envolver pessoas de cidades e transtornos diferentes, que vêm trocar experiência de forma lúdica e interativa por meio da prática do futebol”.

À frente da equipe de usuários visitante, a residente em saúde mental da UFPB, Jacilmara Cavalcanti, falou sobre a iniciativa e a importância dela para a sequência de tratamento e acompanhamento dos usuários.

“Estamos iniciando um trabalho de integração entre os Caps e esse é o primeiro jogo da equipe de usuários Caps AD III Jovem Cidadão. Nosso objetivo principal é estimular o esporte, a prática do exercício e, também, promover a redução de danos e ressocialização. É uma oportunidade terapêutica excelente para eles se conhecerem, ver e conhecer outros espaços, não só de suas próprias cidades”, comentou a residente

Serviço – O Porto Cidadania é um serviço de atenção psicossocial, que assiste pacientes com transtornos mentais graves, severos e persistentes e atende por demanda espontânea, ou seja, não necessita de encaminhamento. Ao ser atendido, o paciente passa pelo acolhimento e triagem a fim de direcionar o atendimento específico.

A equipe é composta por diretor, coordenador, psicólogos, assistente social, enfermeiro, técnicos em enfermagem, nutricionista, educador físico, artesão, educador social, cozinheiro e auxiliar de cozinha. O serviço também dispõe de uma van com acompanhante para o transporte de pacientes impossibilitados do translado pela doença. Atualmente há pelo menos 300 prontuários ativos, de pessoas que vão às consultas e às oficinas terapêuticas.

O CAPS Porto Cidadania fica localizado á Rua Pastor José Alves de Oliveira, 166, Camalaú. Mais informações podem ser obtidas pelo número 3228.1044.

Os Caps –  Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) –  são um ponto de atenção estratégica que atua oferecendo serviços de saúde de caráter aberto e comunitário. Eles são constituídos por equipe multiprofissional, que atua sobre a ótica interdisciplinar. Substitutivos ao modelo asilar, realiza prioritariamente atendimento às pessoas com sofrimento ou transtorno mental, incluindo aquelas com necessidades decorrentes do uso de álcool e outras drogas, em sua área territorial, seja em situações de crise ou nos processos de reabilitação psicossocial.

O Caps I – Porto Cidadania, juntamente com Caps AD Primavera, compõe a rede municipal de atendimento. Para ser atendido pelo CAPS o usuário, ou familiares, devem procurar a Unidade Básica de Saúde mais próxima de sua residência e marcar uma consulta de avaliação.

Para os atendimentos e acompanhamentos, os serviços contam com uma equipe multiprofissional composta por psiquiatra, psicólogo, médico clínico, enfermeiras, técnicas em enfermagem, nutricionista, recepcionista, assistente social, psicólogo, terapeuta ocupacional e educador físico.

Durante a semana, o tempo dos usuários é preenchido com as atividades nas oficinas de música, mosaico, cinema, reflexão, artes e nutrição. Além destas, ainda há o grupo de circulação, uma estratégia de promover o conhecimento da parte histórica do município, e os momentos de lazer, como a oficina de movimento na praia, o bingo e a oficina lúdica.

De acordo com os critérios do Ministério da Saúde, Cabedelo não comportaria mais que uma unidade de Caps, mas as características específicas de cidade portuária contribuíram para que o município tivesse direito a instalação de duas unidades, uma voltada para a atenção de transtornos psíquicos (Caps I) e o Caps AD, voltado para usuário de álcool e drogas.

Compartilhar