Cabedelo realiza I Conferência Municipal de Promoção da Igualdade Racial

Evento debateu questões relativas ao racismo e suas variantes

A Prefeitura de Cabedelo (PMC), por meio da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (SEPM), realizou, nesta segunda-feira (14), na Escola Paulino Siqueira, a I Conferência Municipal de Promoção da Igualdade Racial.

O evento pioneiro colocou em pauta questões relativas à discriminação étnico-racial, étnico-cultural e de intolerância religiosa que afetam, em algum grau, o pleno exercício da cidadania sob condições igualitárias.

Além de estimular o debate e o cultivo das reflexões sobre o tema, a conferência visa promover o encaminhamento de medidas de enfrentamento ao racismo e outras formas de discriminação associadas. O encontro teve como tema central: “Enfrentamento ao racismo e as outras correlatas de discriminação étnico-racial e de intolerância religiosa: Política de Estado e responsabilidade de todos nós”.

“É importante discutir essas políticas para que o poder público, dialogando com a sociedade civil, possa ajudar de alguma forma o município a avançar e dar respostas positivas em relação a essa problemática. A conferência é o espaço e a oportunidade de aprender, desenvolver ideias e promover sua aplicação”, declarou a secretária de políticas públicas para as mulheres, Priscila Rezende.

A palestra motivadora do debate foi proferida por Jadiele Berto, agente de direitos humanos do Centro de Referência da Igualdade Racial João Balula, ligado à Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana (SMDH). O evento contou também com a participação da secretarias de Educação (Seduc) e Cultura (Secult).

As discussões também giraram em torno do registro, proteção e concretização de todos os direitos humanos, liberdades fundamentais e religiosas, e ainda o fortalecimento das ações relacionadas ao gozo de direitos e à promoção de igualdade de oportunidades para a população negra e demais segmentos étnicos raciais e étnico-culturais.

”Nosso município está de parabéns por realizar e desenvolver essa proposta grandiosa que é por em discussão o racismo e suas variantes. O racismo tem um foco predominante na cor da pele, mas se estende por várias esferas, como a política, educativa e religiosa. Portanto, a conferência traz a oportunidade de discutir, produzir e construir e conscientizar cada vez mais nossa população quanto a essas questões”, destacou a secretária da educação, Márcia Moreira.

Para a representante das religiões de matriz africana, mãe Graça, a conferência representa uma ação coletiva e o estabelecimento das reflexões e do diálogo entre a sociedade civil e os órgãos públicos.

“A importância da Conferência é oportunizar a discussão sobre esse racismo, no Brasil quase que exclusivamente voltado ao povo negro. Mas que atinge, por meio das discriminações generalizadas, muitos segmentos, como o religioso e as mulheres”, comentou.

Compartilhar