Cabedelo realiza pitstop, distribuição de mudas e mutirão de limpeza na orla de Intermares

Ação da Semapa aconteceu em parceria com a Seduc e buscou marcar o Dia da Árvore – 21 de Setembro

No último dia 21 foi comemorado o Dia da Árvore, e para marcar a data a Secretaria de Meio Ambiente, Pesca e Aquicultura (Semapa) realizou, nesta quinta-feira (29), um pitstop com doação de mudas, adubo e lixocar a pedestres e motoristas, no bairro do Intermares.

A ação aconteceu em parceria com a Secretaria de Educação (Seduc) e contou, também, com um mutirão de limpeza na orla local, reunindo alunos da rede municipal integrantes do projeto Pescadores de Plásticos.

“Além da distribuição das mudas e dos materiais, esta ação tem também um caráter de conscientização em relação ao lixo na praia. As ações conjuntas, hoje realizadas, têm dois pontos em comum: que são a conscientização sobre a destinação dos resíduos e também a preservação do verde da cidade. A Semapa tem o foco voltado para as questões que envolvem a educação ambiental tanto da população em geral e, sobretudo, dos jovens alunos da rede municipal que, por meio da participação nos projetos, atuam como multiplicadores do ideal de preservação e cuidados em geral com o ecossistema”, comentou o secretário do meio ambiente, Francisco Urtiga.

Ao todo, foram doadas cerca de 150 mudas das espécies Pau Brasil, Ipê, Angelim, Romã, Mangueira, Sapoti, Craibeira, Algodão da Praia e Araçá da Praia.

A celebração trouxe também um perfil de incentivo à ação cidadã e à educação ecológica ao contar com a participação dos alunos da rede municipal de ensino, por meio do programa de educação ambiental da Seduc Projeto Pescadores de Plásticos. A iniciativa é pautada pela busca em desenvolver uma consciência ecológica entre os alunos da rede municipal, para que eles sejam disseminadores dentro da sociedade.

O Pescadores de Plásticos vem sendo trabalhado em Cabedelo desde o ano de 2019 e já alcançou o alunado de 12 unidades escolares. As ações visam informar, sensibilizar, conscientizar e transformar a população em relação à responsabilidade com o cuidado dos resíduos que são produzidos, além de se tornarem uma importante ferramenta no processo de construção socioambiental para a preservação dos ecossistemas.

“A atividade de distribuição de mudas fortalece, junto aos discentes, a compreensão sobre nossas florestas, sobre as árvores nativas e o espaço verde da cidade. Fortalece, ademais, a construção socioambiental tanto deles como do público em geral que participa dessa atividade.  Participando também da atividade de limpeza da praia, eles contribuem para o fortalecimento do trabalho que tem sido contínuo nas escolas e nos projetos desenvolvidos pela Prefeitura, por meio da parceria entre as Secretarias de Educação e de Meio Ambiente. É um trabalho importante que contribui para a construção de uma identidade ecológica, que não é uma coisa que se desenvolve do dia para a noite , mas estamos trabalhando diariamente com essa turminha, que tem se tornado multiplicadores, para uma Cabedelo mais sustentável”, declarou o coordenador do Programa de Educação Ambiental, Gladstony Cruz.

Rubens João da Silva Filho, 14, aluno da Escola Rosa Figueiredo e representante do Núcleo de Cidadania dos Adolescentes de Cabedelo (Nuca), destacou a importância da participação nas atividades do Dia da Árvore.

“Participar do projeto e dessas ações é algo muito interessante porque aqui aprendemos muito sobre a questão do meio ambiente e passamos a dar mais importância ao que a gente tem em nossa região. Nossa relação com a destinação do lixo, por exemplo, que, quando mal conduzida, contamina o meio ambiente e prejudica o solo, a vegetação, a biodiversidade”, frisou.

Larissa Monteiro, 12, aluna do Miranda Burity, falou sobre as experiências e observações do dia e do aprendizado que obteve participando das atividades.

“A nossa participação é muito gratificante porque convida as crianças a terem mais contato com o meio ambiente e, assim, poder preservar e proteger esse mundo para as novas gerações. Hoje, especialmente, além de coletar tampinhas e outros materiais na praia, também aprendemos mais sobre as tartarugas que põem ovos neste local”, destacou.

Compartilhar