Casamento Comunitário celebra o amor e o respeito em cerimônia emocionante

A Prefeitura Municipal de Cabedelo (PMC) deu início às comemorações de 62 anos da cidade oficializando a união de 78 casais cabedelenses, através do Casamento Comunitário. O evento, promovido pela Secretaria de Assistência Social (Semas) – em parceria com as secretarias de Comunicação (Secom), Cultura (Secult), Turismo (Setur) e de Políticas Públicas para Mulheres (SEPM) – aconteceu no Fortaleza de Santa Catarina e contou com a presença de centenas de familiares e convidados dos casais contemplados.

O casamento coletivo com efeito civil foi presidido pelo juiz de Direito Antônio Silveira Neto, e foi voltado aos casais privados economicamente, previamente cadastrados junto à Semas. Após a cerimônia de casamento, foi oferecido um bolo para cada casal e seus familiares, além de um coffee break servido aos convidados. Tudo ao som da Banda D’Baille. 

Palco montado, tendas confortavelmente dispostas, tapete vermelho estendido, mesas e cadeiras e a  Fortaleza que, em si, já se apresentava como um brilhante e inesquecível cenário para esse tipo de solenidade.  A estrutura da festa ainda contou com um ambiente especialmente decorado e com um gigante bolo cenográfico. Local onde os casais posaram para fotos após receberem uma chuva de arroz dos seus convidados.

O prefeito Vitor Hugo compareceu à cerimônia ao lado da primeira-dama Daniela Ronconi. Os dois foram padrinho dos casais e os parabenizou, ressaltando a importância da iniciativa para todos eles. 

“É com muita satisfação que podemos proporcionar tamanha alegria na vida desses casais. Agradeço a Deus por esse momento especial e peço Sua benção por todas as famílias cabedelenses. Essa festa preparada com tanto carinho é sinal do respeito que a nossa gestão tem com o seu povo”, comentou Vítor. 

A secretária de Assistência Social, Cynthia Cordeiro, destacou o papel social da Prefeitura e a importância dessa ação na vida dos recém casados. A secretária já se programa para a edição no ano vindouro. 

“É de vital importância acompanhar a felicidade desses casais. Foi feita uma seleção prévia e todos aqui que participaram atenderam aos pré-requisitos necessários. Todos moradores de Cabedelo, atendidos por algum programa social da Semas e alguns com o histórico de mais de 20 anos de união e que estavam esperando por uma oportunidade como essa. Isso é muito mais do que uma simples cerimônia, é a realização de sonhos. Alguns casais não puderam participar devido à regularização de documentação, mas já estão na expectativa e providenciando tudo para integrarem a edição do próximo ano”.

Enfim, casados! – O casamento foi coletivo, mas cada história e emoção dos nubentes envolvidos eram únicas, algumas, inclusive, se destacam e ilustram o lindo conto de amor vivido nesta noite . 

O marceneiro Geraldo Valentim e a dona de casa Irismar Dantas, do bairro Renascer II, já conviviam juntos há 17 anos, mas  somente agora tiveram a oportunidade de oficializarem a união.

“Esperamos muito por esse momento. A Prefeitura está de parabéns, tudo muito bonito. Casar tem muito custo, tudo é muito caro e, então, se tem alguém para fazer alguma coisa por nós, a gente aproveita”, afirmou Geraldo.

Já o casal Aluilson da Conceição (mototaxista) e Lucimar da Silva (manicure e cabeleireira) moram no Centro da Cidade e estão juntos há 4 anos. Uma história recente, mas que já emociona, principalmente a noiva, que almejava o sonho de se casar desde criança. 

“Eu acho que toda mulher tem sonho de casar. Eu sempre tive. Quando pensei que meu sonho tinha sido esquecido, Deus veio e reviveu, me dando um companheiro que me respeita. E a Prefeitura pra realizar esse sonho. Essa foi uma grande iniciativa”, disse Lucimar.

Respeito – Em sua oratória, o juiz Antônio Silveira frisou a importância do compromisso da sociedade para com o amor, primordialmente, na formação do núcleo familiar e, acima de tudo, respeitando a pluralidade e a diversidade dos casais. 

“Esse é um momento histórico e inesquecível, em que os casais estão celebrando o amor. Isso representa os direitos que todos nós temos em uma sociedade livre e democrática, por isso também celebramos a diversidade e a pluralidade. Pois não existe um modo de viver único, cada família vai encontrar a melhor maneira de viver também respeitando a constituição. Então, é com muita felicidade que recebemos a todos aqui com liberdade e respeito. ‘Até que a morte os separe’ é uma frase que resume bem o momento de quem está iniciando agora uma vida compartilhada. Pois o amor é, sobretudo, partilha”.

Em meio aos contemplados, Cabedelo teve pela primeira vez, em Casamentos Comunitários, o reconhecimento civil da união de casais do mesmo sexo. As estudantes Júlia Santos e Bianca Bernardino, que convivem juntas há 2 anos e 4 meses, protagonizaram uma dessas histórias. Elas ensinaram uma lição de amor, coragem e respeito que ainda precisa vencer muitas barreiras sociais.

“Hoje em dia ainda existe muito preconceito, e nós enfrentamos bastante pra poder chegar até aqui. Mas agora me sinto realizada, feliz e de cabeça erguida para enfrentar qualquer tipo de discriminação e mostrar que o amor é o mais importante. Essa iniciativa da Prefeitura é essencial para a cidade, pois várias pessoas sonham em se casar e muitas delas não têm condições financeiras para isso. Eu e Bianca estamos aqui no meio de tantos casais heterossexuais mostrando o nosso orgulho e, principalmente, o nosso amor. Pois toda forma de amor é justa e válida”, concluiu Júlia.

 

 

Compartilhar