Colorido das Quadrilhas Juninas de Cabedelo agitam mais uma noite do Arraiá do Litoral

Nesta sexta-feira, véspera de São Pedro, quem anima o público é o cantor Osmídio Neto e a dupla Sirano e Sirino

Colorido, alegria, empolgação e beleza. Foi assim mais uma noite do Arraiá do Litoral, na Praça Getúlio Vargas. Pelo Pavilhão Central, quem animou o público foram as quadrilhas juninas cabedelenses, Limoeiro, Luar da Ilha, Expresso do Litoral e Macambira. Além delas, a festa contou com a apresentação da peça Acordai João no palco alternativo Jackson do Pandeiro.

Nesta sexta, véspera de São Pedro, quem sobe ao palco do Arraiá é o cantor Osmídio Neto e a dupla Sirano e Sirino, prometendo muito arrasta pé para quem for conferir a festa, a partir das 19h.

A noite do dia 27 foi aberta pelo espetáculo Acordai João que, mais uma vez, contou de forma lúdica e alegre como surgiram os festejos juninos. Em seguida, no pavilhão central, o público foi ao delírio com as aguardadas apresentações das Quadrilhas Juninas de Cabedelo. Luar da Ilha, Macambira, Expresso do Litoral e Limoeiro levantaram os espectadores e abrilhantaram a noite com muita alegria e empolgação.

Este ano, o Arraiá do Litoral presta uma homenagem à Junina Viana, uma das mais tradicionais quadrilhas juninas da cidade, que completa 25 anos. O grupo carrega em sua história diversos títulos municipais e estaduais e temas que exaltam a cultura e o folclore do Nordeste, homenageando nomes como Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Oliveira de Panelas, Coco de Roda e até monumentos históricos de Cabedelo, como a Fortaleza de Santa Catarina e o Farol da Pedra Seca.

“Desde criança eu sonhava eu participar de quadrilha, porque eu via meus pais dançando, por isso eu criei a Junina Viana. Infelizmente, esse ano a gente não vai sair. Por motivos de saúde, eu precisei me afastar da direção. Mas eu estou muito feliz com a homenagem que a Prefeitura está fazendo a todos nós. Somo a quadrilha mais antiga de Cabedelo. Estou muito honrada com a oportunidade de, mesmo não fazendo parte dos festejos juninos, ser representada com espaço voltado para a Junina Viana”, disse Socorro Viana.

Tradição, colorido e empolgação – No Pavilhão Central do Arraiá, quem abriu as apresentações foi a Quadrilha Junina Luar da Ilha, seguida pela Macambira, Expresso do Litoral e a Limoeiro.

Fundada em 2006, Luar da Ilha, de Camboinha III, tem 48 componentes. O grupo, único cabedelense que se classificou para disputa do concurso estadual, movimentou o Arraiá do Litoral com o tema “Catirina e Pai Francisco. Entre o Azul e Vermelho, de quem será o festejo?”.

“Nossa quadrilha tinha parado em 2011 e, desde o ano passado, voltamos com esse objetivo de resgatar nossa cultura popular. Escolhemos esse tema pela grande importância que essa história tem no folclore. Nos preparamos desde agosto do ano passado e alcançamos um bom resultado no concurso metropolitano. No próximo ano, vamos fortes para competir também no estadual. Só temos que agradecer à Prefeitura por todo o apoio e parabenizar pela linda estrutura e pelo espaço disponibilizado”, afirmou o vice-presidente da Luar da Ilha, Jeymmison Gomes.

A junina Macambira, de Camalaú, é a quadrilha mais antiga em atividade de Cabedelo. Com 21 anos de existência, o grupo trouxe para o Arraiá o tema “Sorte ou azar? Só o jogo dirá. Com o tabuleiro da paixão, a Junina Macambira dá Xeque-mate no São João.”

“A ideia da Macambira esse ano foi fazer um paralelo entre a quadrilha junina e um jogo de xadrez, envolvendo as conquistas de Reis e rainhas até o Xeque Mate. O povo de Cabedelo merece essas apresentações culturais, para isso precisamos que mais pessoas e estabelecimentos se sensibilizem com a causa das quadrilhas juninas. Agradecemos pelo apoio da Secult e da Prefeitura. A festa está dez, o espaço está maior e muito organizado”, afirmou a presidente da Macambira, Mônica Costa.

A Expresso do Litoral, do Centro, subiu ao Pavilhão no clima de empolgação de estreia, com o emocionante tema “Eu te ofereço meu São João, para curar tua depressão.” Seus 40 componentes mostram que o grupo veio para ficar!

“A gente tem um trabalho muito bonito para mostrar, principalmente porque o tema da quadrilha é um tema atual que fala sobre depressão, doença que atinge muitas pessoas em todo mundo. Na nossa história, o noivo tira a noiva da depressão levando-a para conhecer o São João, que é uma festividade tão bonita aqui no nosso Nordeste. Parabenizamos o trabalho da Secretaria de Cultura e da Prefeitura, principalmente pela estrutura da festa. Eesperamos poder contar com esse apoio nós próximos anos”, destacou Blackout Barbosa, presidente da Expresso.

Por fim, foi a vez da Limoeiro, do bairro do Centro, encerrar com chave de ouro as apresentações. Fundada em 2000, o grupo ficou 12 anos sem participar dos festejos. Este ano, trouxe como tema “Limoeiro, Sou Caipira sim, Senhor”. Os 40 componentes levantaram o público com toda a sua alegria.

“Depois de 12 anos estamos de volta para brincar o São João e levantar a cultura de Cabedelo junto com as outras quadrilhas. É um prazer enorme estarmos aqui. O nosso tema reflete a cultura da vida do caipira no campo e no período junino. Agradecemos muito pela estrutura e organização proporcionados pela Prefeitura. Todas as equipes envolvidas no evento estão de parabéns. Muitas pessoas estão vindo pra Cabedelo prestigiar!”, exclamou Bruna Marques, porta-voz e noiva da Limoeiro.

 

 

 

Compartilhar