Conexão Teatro e Dança de Cabedelo apresenta mais uma edição do Tardezinha Literária nesta quinta-feira (5) e diversos espetáculos na Praça Getúlio Vargas, no sábado (7))

A Prefeitura Municipal de Cabedelo (PMC), por meio da Secretaria de Cultura (Secult), dá seguimento à programação do projeto Conexão Teatro e Dança esta semana.

Na quinta-feira (5), a partir das 17h, na Vila dos Pescadores em Jacaré, será realizada mais uma edição da Tardezinha Literária da Biblioteca Pública Municipal Aderbal Piragibe, com a apresentação do espetáculo “Navegadores de Histórias” da Cia Art’culados In Cena.

No sábado (7), a partir das 19h30, será a vez da Praça Getúlio Vargas receber o projeto, se transformando novamente em um grande teatro a céu aberto. O público presente poderá prestigiar a apresentação de espetáculos de teatro e dança que envolverão mais de 50 profissionais, entre atores e bailarinos.

Serão realizados os espetáculos “Oríara”, da Cia de Dança Marcelo Fiuza, de Cajazeiras; “A Cigarra e a formiga, sim senhora”, da Cara Dupla Coletivo de Teatro, de João Pessoa; e “Coppélia”, da Cia Clássica Municipal, de Cabedelo.

Até este mês de maio, o projeto Conexão Teatro e Dança Cabedelo vai promover atividades envolvendo apresentações, oficinas e cursos. A iniciativa busca, acima de tudo, promover a união entre a arte da Dança e a arte do Teatro na cidade, estimulando e valorizando a história dessas manifestações no município e reconhecendo-as como elementos importantes para a formação artística e para o desenvolvimento social da região.

Sobre os espetáculos – A Tardezinha Literária traz, na quinta-feira (5), o espetáculo Navegadores de Histórias”, de raízes populares da Cia Art’culados in cena e sua narrativa acontece a bordo de uma navegação, onde os marinhos, o capitão e o Sr Menestrel navegam no mundo imaginário, em busca de histórias para serem contadas. No entanto, assim como toda a viagem, tudo pode acontecer, e no barco imaginário dos navegadores de histórias, isso não é diferente.

Nesse projeto, os personagens navegam sobre duas contações de histórias. Em primeiro, A história “A Lagarta”, uma história da Cia Lúdica do Rio Grande do Sul, com a adaptação de texto da Cia Art’culados. Em segundo, a história será “a maior flor do mundo”, do escritor português José Saramago, que conta a história de um menino que sai pra brincar entre as árvores e em determinado momento ele encontra uma pequena flor, murcha e solitária. Nesse momento, a criança passa a cuidar da flor, o seu carinho por ela faz com que ela se torne a maior flor do mundo.

No sábado (7), será apresentado o espetáculo “Oríara”, palavra de origem em Yorubá que traz duas potências do nosso centro enquanto ser, formam o nome do espetáculo (Orí = Cabeça e Ara = Corpo). O espetáculo traz os arquétipos da mitologia africana através dos movimentos coreográficos apresentados no espetáculo; a cabeça como o centro do nosso corpo, aquilo que nos guia e nos dá sensações diferentes. Trazendo as ações de Flutuar, Pontuar, Colher, Pilar, Deslizar, ações essas que através de estudos nas teorias de LABAN, Junto com arquétipos dos orixás desenvolvemos uma pesquisa de movimento que dão a origem ao segredo das folhas.

Já o espetáculo “A Cigarra e A Formiga, Sim Senhor!”, transporta o telespectador para o universo nordestino, em um recorte bastante lúdico da seca, um tanto diferente da obra original do francês Jean de la Fontaine, que conta a história da Cigarra que canta durante o verão, enquanto a Formiga trabalha acumulando alimentos em seu formigueiro para o inverno terrível. Nesta adaptação feita pela autora Joseane Magda e dirigida por Letícia Rodrigues, a história será ambientada na seca do sertão, onde, alertados sobre uma terrível seca que devastará o sertão nordestino, todos os insetos terrão que executar tarefas para escaparem da fome e da sede.

Por fim, o espetáculo “Coppelia” é um dos primeiros, senão o primeiro ballet que tem por base o tema de uma boneca que ganha vida. O libreto foi adaptado por Charles Nuitter, então arquivista da Ópera de Paris, e que tirou dos contos de Hoffmann, Der Sandmann e Die Automate. O Ballet Coppélia é um Ballet cômico de 2 atos e 3 cenas, com coreografia originalmente feita por Arthur Saint-Leon, música de Léo Delibes e libreto de e Charles-Louis-Étienne Nuitter, baseado em 2 histórias de ETA Hoffmann: Der Sandmann e Die Automate. É um ballet cômico justamente por seu enredo e é também marcado por mis-en-scénes e divertssiments que passam alegria ao público.

A montagem será o primeiro espetáculo da Cia Clássica Municipal de Cabedelo e tem duração aproximada de 30 minutos. O Espetáculo está baseado na obra original, e seu roteiro é dividido entre sete cenas e contará com a participação de 20 bailarinos, com Direção Geral e adaptação de Michela Lima.

Além de Coppélia, a Cia Clássica também produzirá o espetáculo Fusão das Artes, inspirado nas obras do Artista Plástico Degas, caracterizando-se por ser um espetáculo com um foco no Balé Moderno, sendo coreografado por Michela Lima.

Compartilhar