Equipes da Prefeitura de Cabedelo visitam estuário do Rio Paraíba

Ação contou, ainda, com presença de representantes da Prefeitura de João Pessoa, do Ministério Público da Paraíba e da Capitania dos Portos

Uma das biodiversidades mais bonitas da Paraíba, o Estuário do Rio Paraíba, recebeu, nesta quarta-feira (26), a visita da equipe da Prefeitura Municipal de Cabedelo, através da equipe técnica da Secretaria de Meio Ambiente, Aquicultura e Pesca (Semapa). A ação buscou averiguar in loco a situação atual do estuário e traçar um plano de solução para as irregularidades encontradas.

O local vem sofrendo com ocupações invasivas e despejo de resíduos sólidos e líquidos no manguezal. A Semapa de Cabedelo vem atuando de forma ostensiva e corriqueira para minimizar e coibir os impactos causados ao estuário, fruto dessas irregularidades.

A visita contou com a presença de representantes da Prefeitura de João Pessoa, por intermédio da Secretaria de Meio Ambiente (Semam); e da Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente. A iniciativa foi capitaneada pela equipe da Semapa de Cabedelo e pelo vice-prefeito Mersinho Lucena.

“Infelizmente, verificamos um problema gravíssimo de esgotos e lixos que estão sendo lançados diretamente no estuário. Se nós não cuidarmos de tudo agora, num futuro bem próximo poderemos não contar mais com essa biodiversidade. É preciso haver união entre todos os municípios da região metropolitana que usufruem direta ou indiretamente do rio. Precisamos debater as propostas necessárias e o planejamento conjunto para buscarmos as soluções mais viáveis”, destacou Mersinho.

A visita foi promovida pela Semapa de Cabedelo, buscando sensibilizar os demais órgãos responsáveis para a importância da preservação do estuário.

“No passado tivemos uma reunião com a Procuradoria de Meio Ambiente de Cabedelo, em que foram determinadas ações com vários órgãos. A Semapa vem cumprindo esse papel, por isso promovemos esta visita justamente para sensibilizar aos demais órgãos envolvidos para que nos ajudem nessa mobilização de preservar o estuário. Essa visita busca, também, alertar às autoridades para a ocupação irregular nas comunidades marginais do estuário do Rio Paraíba. Pois isso vem prejudicando muito o nosso manguezal. Estamos percebendo que a densidade da água não está a mesma, pois o estuário vem recebendo afluentes de outras cidades, como João Pessoa, Bayeux e Santa Rita”, pontuou o secretário de Meio Ambiente de Cabedelo, Francisco Urtiga.

O promotor de justiça de Defesa do Meio Ambiente e do Patrimônio Social em João Pessoa (PB), José Farias de Souza Filho, acompanhou toda visita e também demonstrou sensibilidade com o tema.

“A nossa preocupação é com todos os bens ambientais, a exemplo dos rios Sanhauá, Mandacaru e o Paraíba, aqui em evidência. Eles recebem afluentes sanitários in natura que estão matando os rios. Esses afluentes são lançados pelas Prefeituras que estão nestas bacias hidrográficas, como a de Cabedelo, Bayeux, João Pessoa e Santa Rita. Nós estamos vendo o nível, a intensidade e as causas da poluição para começar a construir um consenso, junto com as administrações municipais, para a implementação de políticas públicas de saneamento básico. Precisamos universalizar a infraestrutura de coleta e de esgotamento sanitário das cidades em torno dessa bacia; tratar os afluentes sanitários antes de liberar as águas residuais nos cursos de água; remover pessoas que estão em situação de risco permanente nas áreas de preservação desses rios, pois elas não tem saúde, qualidade de vida e nem dignidade por conta da situação em que estão e isso também é compromisso do Poder Público e da coletividade. Depois de tudo isso, despertar no Poder Público dos Municípios, através de um consórcio metropolitano, o interesse por exploração econômica dessas áreas, porque nós estamos numa bacia hidrográfica riquíssima que tem um elevado potencial turístico. Cabedelo testemunha bem isso”, destacou Farias.

Presenças –A visita contou com a presença do Secretário do Meio Ambiente e Pesca de Cabedelo, Francisco Urtiga, acompanhado de todo corpo técnico da pasta; do Promotor de Justiça de Defesa do Meio Ambiente, do Ministério Público da Paraíba, José Farias; do coordenador do Centro de Apoio do Meio Ambiente da Promotoria de Justiça da Paraíba, Raniere Dantas; do diretor de Controle Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente de João Pessoa (Semam-JP), Anderson Fontes; do assessor da divisão de segurança do tráfego aquaviário da Capitania dos Portos da Paraíba, capitão Luiz Araújo; do representante da Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema) e também do Pelotão de Polícia Ambiental da Paraíba, Major Jailson Bezerra; do superintendente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Dallys Henrique; do analista ambiental do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio-PB) e representante do órgão no Comitê Gestor do Projeto Orla Cabedelo, Fabiano Gumier;  da presidente do Instituto e Pesquisa e Ação (Inpact), Karina Massei; além da participação do presidente da Associação dos Catamarãs da Paraíba, dentre outras autoridades.

 

Compartilhar