Prefeitura de Cabedelo empossa mais 117 aprovados em Concurso Público

Além dos aprovados dentro das vagas também foi dada posse a mais 40 professores, 2 guardas metropolitanos e 3 auxiliares bucais que não estavam na faixa prevista

A Prefeitura Municipal de Cabedelo (PMC), por meio da Secretaria de Administração (Sead), deu posse, nesta quarta-feira (6), a mais 117 candidatos aprovados e classificados no último concurso público realizado pela instituição. A solenidade aconteceu na Fortaleza de Santa Catarina.

Na ocasião, foram empossados 68 Cuidadores de Educação Inclusiva, dentre eles, 04 PCD (Pessoas com Deficiência); 01 Bibliotecário, 01 Agente Comunitário de Saúde e 02 Intérpretes de Libras. Além deles, a lista inclui mais classificados fora das vagas previstas como 38 Professores de Educação Básica I, dentre eles, 04 PCD (Pessoas com Deficiência); 1 Professor de Linguagem Portuguesa da Educação Básica II; 1 Professor de Linguagem Inglesa da Educação Básica II; 02 Guardas Metropolitanos (1 homem e 1 mulher); e 03 Auxiliares Bucais.

O Concurso Público para cargos na PMC foi realizado em 2020 e ofereceu 276 vagas. Com os novos empossados, a Prefeitura chega ao total de 332 novos servidores. O prefeito Vitor Hugo Castelliano fez um pronunciamento oficial saudando os novos funcionários efetivos da Prefeitura.

“Sejam bem vindos à cidade de Cabedelo que está em transformação com mais de 30 obras simultâneas em andamento. Tenho certeza que quem não mora aqui, ainda vai querer morar. É um prazer receber a todos que estão chegando e recebendo as portarias de nomeação de servidor efetivo desta Prefeitura. Estamos preenchendo mais vagas do que as que foram previstas no concurso e ainda pretendemos convocar mais pessoas. Isso só demonstra o compromisso e a seriedade que tem esta gestão com o serviço público”, afirmou o prefeito.

Em seu pronunciamento, Vitor Hugo também destacou algumas categorias que foram convocadas, assim como o trabalho de inclusão social que é desenvolvido pela atual gestão. “Importante valorizar o trabalho árduo e lindo que desenvolvem os cuidadores, por isso, peço muito zelo e dedicação para os concursados nesta função, que vão trabalhar com pessoas com deficiência. E também ressaltamos essa convocação de PCDs pois aqui temos um percentual altíssimo e muitas delas estão em suas casas porque ainda não temos uma cidade totalmente inclusiva. Porém, estamos comprometidos com essa transformação”.

A secretária de Administração, Nilda Batista, falou sobre o reforço no quadro de profissionais da PMC e também deu as boas-vindas aos mais novos servidores. “É com muita honra que realizamos mais uma posse de aprovados em concurso público. Sabemos que muitos se sacrificaram diariamente para estarem aqui e agora estão recebendo o devido reconhecimento. Desejamos muita felicidade nessa nova etapa da vida de cada um e que este seja o primeiro de muitos sonhos realizados. Esse é o primeiro degrau, louvem a Deus por isso e por estarem entrando numa gestão comprometida e que valoriza o funcionário público. Eu me efetivei há 31 anos e tenho muita honra disso. Tem muitos secretários que também são efetivos e passaram por esse processo. E somos valorizados pelo nosso trabalho. Que isso sirva de estímulo para todos”, destacou Nilda.

Para os novos servidores municipais, a expectativa é a de servir à população e à cidade, fazendo valer todo o esforço despendido na caminhada até a posse.

Hellen Lidhya é moradora do bairro de Intermares e foi empossada como professora da Educação Básica I. Ela resumiu o sentimento de muitos que estavam presentes. “O sentimento é de gratidão, primeiramente a Deus e depois à Prefeitura de Cabedelo, pois eu não esperava ser chamada, não estava dentro das vagas. Quando tive a notícia que o prefeito tinha convocado mais professores para o concurso, eu fiquei em estado de alegria plena. E o momento é só de agradecer por todas as coisas que Deus tem proporcionado, não só pra mim, mas para todos os convocados. Eu espero poder contribuir da melhor forma para a educação, principalmente porque vou trabalhar em creche, temos de ter paciência, procurar fazer o melhor, ser o diferencial como servidora pública”.

Para Ialisson Araújo, morador do bairro Jardim América, passar no concurso para Agente Comunitário de Saúde (ACS) também é a realização de um sonho e ele não vê a hora de começar a trabalhar. “O meu sentimento é de gratidão. Esperei dois anos por essa conquista, com muita ansiedade, muita necessidade também. Agora sinto alívio, só tenho a agradecer por uma nova profissão! Vou trabalhar pra ser um bom ACS para minha comunidade e um exemplo de servidor público”.

E quando o prefeito falou que os concursados de fora da cidade, iriam querer morar em Cabedelo, realmente, ele não estava enganado. Visivelmente emocionada, Maria Hosilani, recém empossada como professora de Educação Básica I, é moradora do bairro Colinas do Sul na Capital, mas já admitiu que está procurando um local pra se instalar de vez na cidade portuária da Paraíba.

“Estou bastante emocionada com tudo que está acontecendo, eu não esperava ser chamada, pois não estava na lista prevista. E é tudo muito gratificante, ver que a gestão tem um compromisso com a cidade de Cabedelo. Eu trabalho na área educacional  há 10 anos e pretendo continuar, me formando e oferecendo o meu melhor para o povo daqui. Pretendo morar na cidade, com toda certeza. Meu marido já foi daqui e já estamos nos programando”, concluiu.

Atenção à Educação – Ainda em seu pronunciamento, o prefeito Vitor foi muito contundente com relação à atenção especial que a gestão tem para com o setor de educação. “Essa convocação extra de professores só demonstra o compromisso que temos com a classe educacional. Somos a gestão que mais deu reajuste salarial à classe educacional nesta cidade, porém, reconhecemos quando eles reivindicam seus direitos como a implantação do PCCR. A gestão paga o piso nacional e essa categoria é tratada com dignidade com reforma e modernização de escolas, qualificação e valorização de profissionais e estaremos sempre buscando atender todas as reivindicações que sejam justas e estiverem dentro da legalidade e do limite de responsabilidade fiscal”.

 

Compartilhar