Prefeitura de Cabedelo promove oficina sobre Grupos de Promotores de Saúde Mental

Iniciativa tem como alvo os profissionais do Núcleo de Apoio à Saúde da Família e equipes da Saúde da Família.

A Prefeitura Municipal de Cabedelo (PMC), por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Sescab), deu inicio, nesta quarta-feira (21), à oficina Grupos Promotores de Saúde Mental. A iniciativa da Coordenação de Saúde Mental, juntamente com a Coordenação Educação Permanente, do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf), busca proporcionar melhorias na qualidade do atendimento aos usuários.

O encontro acontece hoje e amanhã (21 e 22), no Auditório da Secretaria de Educação, e é destinado aos profissionais do Nasf e das equipes de Saúde da Família. O objetivo é contribuir para a implementação de grupos de saúde mental nas unidades.

“Os promotores de saúde mental trabalham com o intuito de fortalecer, principalmente, o trabalho em equipe, e tem como finalidade melhorar, cada vez mais, a qualidade de vida do usuário. Eles trabalham em conjunto, compondo uma equipe multiprofissional que reúne, por exemplo, psiquiatras, enfermeiros, fisioterapeutas, assistentes sociais… Trata-se, basicamente, de um trabalho de interação entre os profissionais, de um para com o outro, para obter melhorias no resultado final de saúde dos usuários dos serviços”, definiu a coordenadora de Saúde Mental, Kamilla Aguiar.

A oficina teve inicio com dinâmicas de interação, com intuito de fortalecer as noções de vinculo, item indispensável para o desenvolvimento de trabalho em equipe. Logo em seguida, foi realizada uma palestra sobre a temática da educação permanente.

Na quinta-feira (22), o encontro reserva um momento de partilha de experiências na formação de grupos. Será uma oportunidade, de acordo com Kamilla, para quem não trabalha com grupos ou não tenha experiência possa conhecer as atividades dos Caps 1, Caps AD, Atenção Básica, Nasf e Academia de Saúde.

“Nosso objetivo com a realização da oficina é implementar mais grupos promotores de saúde mental na rede de saúde, ou seja, criar mais equipes e espalhar essa ideia entre os profissionais. Quando se trabalha em grupo é necessário saber escutar, construir vínculos com a outra pessoa , desenvolver um olhar empático e estabelecer o diálogo. O foco principal é ter um melhor acolhimento”, concluiu a coordenadora.

Compartilhar