Prefeitura de Cabedelo realiza ação do Projeto Piloto de Coleta Seletiva do município no bairro do Poço

Iniciativa faz parte do processo de construção do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos de Cabedelo

A Prefeitura Municipal de Cabedelo (PMC), por meio da Secretaria de Meio Ambiente, Pesca e Aquicultura (Semapa), em parceria com a Secretaria de Educação (Seduc), realizou, nesta quinta-feira (13), no Poço, uma ação relativa ao Projeto Piloto de Coleta Seletiva para o bairro.

O Projeto Piloto faz parte do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, que tem como objetivo implantar o sistema de coleta seletiva no município.

O evento contou com um Pit Stop em frente à Escola Municipal Maria Miranda Burity, com o objetivo de promover a divulgação sobre a natureza do projeto, distribuição de lixocar e indicação de um Qrcode, por meio do qual os moradores terão acesso a uma cartilha informativa sobre coleta seletiva. A ação contou com o apoio dos gestores e alunos da escola.

“Estamos dando início hoje ao processo de divulgação do Projeto de Coleta Seletiva no Poço, bairro que está sendo uma espécie de teste para nós. Após essas primeiras ações, iremos submetê-las a avaliação para podermos, em etapas futuras, abranger todo o município. A ação faz parte do Plano Municipal, que prevê uma série de intervenções no sentido de promover a conscientização para o manejo, o gerenciamento e a destinação correta dos resíduos sólidos”, declarou a engenheira ambiental, Maiane Barbalho, do setor de coleta seletiva da Semapa.

O processo de conscientização para o engajamento da população no processo contará ainda com a distribuição de sacolas plásticas nos domicílios e orientações sobre a triagem de recicláveis. Além disso, o projeto prevê a participação ativa dos catadores ligados à cooperativa do município, para o recolhimento do material coletado.

“Esse trabalho é importante para a conscientização da população, acerca do manejo dos resíduos, mas também uma forma de contribuir para o aumento de renda dos catadores, sejam da cooperativa ou informais. O foco, portanto, tem como primeiro plano a educação ambiental, que vem a ser complementada pela ação social e, também, econômica. O programa de educação ambiental já é trabalhado hoje junto às escolas, com atividades variadas na área da limpeza de nossos ecossistemas, portanto estamos alinhados num mesmo propósito, qual seja, cuidar do nosso mundo”, completou Mariana.

A parceria entre as Secretarias de Meio Ambiente e de Educação, que as une em diversas outras ações voltadas para limpeza do meio ambiente e a conscientização ambiental, teve início no último dia 10, quando aconteceu uma série de palestras visando a conscientização de alunos e professores sobre a importância da coleta seletiva bem como a sua responsabilidade social para com os catadores de materiais recicláveis. As atividades devem envolver em média 640 alunos nos turnos da manhã e tarde.

“Os resíduos sólidos são um dos principais problemas ambientais do mundo e essa iniciativa da PMC, por meio do trabalho integrado entre as Secretarias, é de extrema importância para diminuir o quantitativo de resíduos que são destinados aos aterros sanitários. A coleta seletiva vai trazer, com certeza, benefícios ambientais e econômicos para a cidade, a começar pelos catadores. As Secretarias e o município estão de parabéns por essa iniciativa, que começou hoje pelo Poço e, em breve, estará em toda Cabedelo”, acentuou o professor, Gladstony Cruz, coordenador do Programa de Educação Ambiental.

 PMGIRS – O Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS), começou a ser elaborado, em março deste ano, com a assinatura do Termo de Cooperação Técnica entre os órgãos municipais e o Instituto Federal da Paraíba (IFPB) – Campus Cabedelo.

O desenvolvimento do PMGIRS permitirá ao municipio uma reflexão sobre as alternativas de futuro, com a elaboração de cenários referenciais para o planejamento no horizonte dos próximos 20 anos, refletindo nas expectativas favoráveis e desfavoráveis para aspectos como crescimento populacional; intensidade de geração de resíduos; mudança no perfil dos resíduos; incorporação de novos procedimentos; novas capacidades gerenciais na destinação correta dos resíduos urbanos.

O PMGIRS atende à Lei Federal nº 12.305/2010, e às Leis nº 11.445/2007, 9.974/2000, e 9.966/2000, bem como às normas estabelecidas pelos órgãos do Sistema Nacional do Meio Ambiente (Sisnama), do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS), do Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa) e do Sistema Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Sinmetro).

Compartilhar