Profissionais de educação participam de capacitação sobre obesidade

Encontro promovido pelo PSE pôs em pauta a prevenção da obesidade em escolas e creches

As Secretarias de Educação (Seduc) e de Saúde (Sescab) de Cabedelo,  por meio do Programa Saúde na Escola (PSE), realizaram, na última sexta-feira (6), uma capacitação para discutir a questão da obesidade no âmbito escolar. O encontro serviu para promover o aprendizado e elaborar estratégias para detecção e prevenção do problema em escolas e creches da rede municipal de ensino.

Participaram do encontro membros do grupo de trabalho do PSE e representações das escolas e creches. A palestra motivadora foi proferida pela nutricionista da Atenção Primária, Thais Quintanilha. A ação teve como meta a formação de multiplicadores para atuação nas unidades de ensino do município.

 “Uma das temáticas trabalhadas pelo PSE, e que também faz parte das metas preconizadas pelo Selo Unicef, é a promoção da alimentação saudável e a atenção aos casos de obesidade infantil registradas entre crianças e adolescentes. De acordo com as estatísticas, os índices são altos, representam uma problemática real e o trabalho visa promover ações de prevenção aos casos de obesidade no município”, explicou a coordenadora do PSE/Educação, Cristiane Souza Batista Barbosa.

O PSE é um grupo de trabalho intersetorial que reúne profissionais da Saúde e da Educação, com atuação nas unidades de ensino no intuito de promover hábitos saudáveis e prevenir problemas como o da obesidade infantil.

“Trouxe para essa capacitação tudo que há de novo em relação à pesquisa, estudos e artigos, sobre alimentação e obesidade infantil que é, inclusive, uma preocupação mundial. O número de crianças e adolescentes obesos tem avançado e traz problemas que estávamos acostumados a registrar em pessoas de mais idade, como falta de sono, problemas de coração e diabetes”, relatou a nutricionista Thais Quintanilha.

 A nutricionista, que inclusive já desenvolveu pesquisa sobre o status do problema entre o alunado cabedelense, explicou que a obesidade é uma inflamação que compromete a saúde da pessoa como um todo, em vários aspectos. Ela explicou como os profissionais podem promover e prevenir a problemática.

“Demos um enfoque patológico ao problema, como prevenir, como tratar e, sobretudo, como enxergar a criança ou adolescente como um todo, sem impor que ele tenha que tenha uma alimentação saudável mas, sim, que ele perceba como uma prática e crie esse hábito. Essa promoção passa, no âmbito escolar, pela entendimento da importância dos hábitos alimentares saudáveis e pelo estímulo à prática de atividades físicas”, concluiu.

PSE – O Programa Saúde na Escola (PSE), política intersetorial da Saúde e da Educação, foi instituído em 2007. Nele, as políticas de saúde e educação voltadas às crianças, adolescentes, jovens e adultos da educação pública brasileira se unem para promover saúde e educação integral dos estudantes da rede pública de ensino.

O PSE tem como objetivo contribuir para a formação integral dos estudantes por meio de ações de promoção, prevenção e atenção à saúde, com vistas ao enfrentamento das vulnerabilidades que comprometem o pleno desenvolvimento de crianças e jovens da rede pública de ensino.

A Escola é a área institucional privilegiada deste encontro da educação e da saúde: espaço para a convivência social e para o estabelecimento de relações favoráveis à promoção da saúde pelo viés de uma Educação Integral.

Entre as estratégias de ação incluem-se a Avaliação das Condições de Saúde das crianças, adolescentes e jovens que estão na escola pública; a Promoção da Saúde e de atividades de Prevenção; Educação Permanente e Capacitação dos Profissionais da Educação e da Saúde e de Jovens e Monitoramento e Avaliação da Saúde dos Estudantes.

Compartilhar