Reunião debate ações de controle ao Aedes Aegypti em Cabedelo

A Secretaria de Saúde de Cabedelo (Sescab), por meio da coordenação de Vigilância em Saúde, realizou, nesta quarta-feira (20), uma reunião para discutir plano de contingência e o Plano de Ações Integradas no Controle do Aedes Aegypti no município.

O encontro contou com a participação de representantes das várias áreas de governo que compõem o Comitê Gestor de Combate ao Aedes Aegypti, ligado aos trabalhos de controle e combate às doenças transmitidas pelo mosquito.

“Essa é uma reunião que a própria Vigilância em Saúde convoca para promover a articulação das ações intersetoriais. Isso é extremamente importante porque o combate à dengue não é uma responsabilidade só da saúde, é de todas as Secretarias. Todos os órgãos tem que estar envolvidos nesse projeto de combate ao Aedes Aegypti, inclusive a sociedade civil, então nosso papel é, além de articular as Secretarias, também envolver a população e as organizações não-governamentais para somar nessa proposta de combate ao vetor transmissor da Dengue, Chikungunya e Zika”, gestora da Vigilância em Saúde, Júlia Vaz.

Na reunião de hoje foram apresentadas as atribuições, descritas no Plano, para as Secretarias de Infraestrutura, Receita, Educação, Comunicação e Saúde. Foram discutidos os avanços, as limitações verificadas, a necessidade de intensificação da articulação, bem como a intensificação das ações preventivas por parte dos órgãos responsáveis.

Júlia Vaz comentou a dinâmica da reunião e destacou os pontos de trabalho que pretende articular à frente da coordenação.

“Foi uma boa reunião e um momento em que as pessoas puderam colocar o que já vinham executando e, dentro do que foi falado, vamos procurar fazer melhorias. Apesar de já ser um bom trabalho, há algo ainda a ser implementado, revisto e receber o aporte de novas ideias. Estamos com novos atores no município, uma nova gestão e, diante disso, as ideias e as propostas desses novos atores têm que ser ouvidas e colocadas em prática”, comentou.

Entre as medidas imediatas, estão a necessidade de promover uma maior articulação entre as três vigilâncias (sanitária, ambiental e epidemiológica), bem como o envolvimento com a Atenção Básica, Especializada e Laboratório. Segundo ela, essas medidas têm por objetivo a prevenção e a atenção ao paciente, através de diagnósticos e atendimentos rápidos.

Secom Cabedelo

Compartilhar